Home / Artigos / 14% DO COMÉRCIO ONLINE NO BRASIL FOI FEITO POR CELULAR

14% DO COMÉRCIO ONLINE NO BRASIL FOI FEITO POR CELULAR

No Brasil, 14% das transações online do segundo trimestre aconteceram por meio de dispositivos móveis. Desse número, 10% ocorreram via smartphone e 4% via tablet. O resultado é baseado em dados levantados pela empresa Criteo, especializada em marketing digital e divulgados hoje, 26.

O relatório “State of Mobile Commerce” mostra que o smartphone é o principal instrumento de compra mobile em em cinco (Coreia do Sul, Japão, Espanha, EUA, Itália, Brasil) dos 11 países analisados. Nos outros seis (Reino Unido, Alemanha, Holanda, França, Rússia), predomina o tablet.

Nos Estados Unidos, o iPhone foi responsável pela maioria das transações via smartphone, com 66%, ante 61% nos últimos dois trimestres. Em compensação, o Android é líder na maioria dos países, incluindo o Brasil, onde obteve 7% de transações via Android, ante 3% do iPhone. Na Coreia do Sul, 8% das compras online acontecem pelo iPhone, enquanto o Android é responsável por 36%. No Reino Unido, Japão e França, além dos EUA, predomina o celular da Apple.

O estudo aponta que a diferença em vendas é significativa entre os sites ajustados para as plataformas móveis e os ainda focados nos PCs. Os sites não otimizados têm 23% de suas transações e-commerce via mobile, enquanto que sites otimizados conseguem 31%. Quanto mais um site for otimizado para o mobile, maior é o aumento na taxa de conversão. Para websites que são apenas ‘navegáveis’ nos dispositivos móveis, a taxa de conversão fica em 2,9% contra 1,6% para sites não otimizados. Quando o site é adequado para o mobile, a taxa de conversão passa para 3,4%. Essa diferença também fica clara no ‘digital funnel’, onde o usuário que acessa um site otimizado visualiza cerca de 2,9 produtos e as compras atingem 9,5%. Nos sites não otimizados, são 2,3 produtos e pedidos em 8,4%.

Os aplicativos geram quase 50% das transações mobile para as empresas que os utilizam e seus resultados são tão bons, que eles alcançam uma performance melhor que qualquer outro canal, incluindo desktop. Isso indica que a experiência do usuário no app é melhor que no desktop ou browser. Para varejistas que privilegiam os apps, 47% de toda a receita mobile vêm dos aplicativos.

Tendências
A Criteo identificou quatro grandes tendências:

1 – O crescimento em mCommerce é inevitável. No final do ano, a cota de transações de comércio eletrônico móvel está prevista para chegar a 33% nos EUA, 22% no Brasil e 40% globalmente.

2 – Smartphones continuarão em fase de crescimento devido a maiores telas disponíveis. A Apple está ganhando terreno do Android, mas ambos são vencedores contra o desktop, que está encolhendo.

3 – Apps são a próxima fronteira. Os anunciantes vão começar a investir significativamente em seus aplicativos moveis como uma forma de gerar mais conversões do que desktop e ter mais envolvimento com seus clientes fiéis.

4 – Lidar com o comportamento cross-device é o maior desafio e oportunidade para os comerciantes em 2015. Com 40% das vendas já cross device, os comerciantes têm de falar com os usuários e não mais para os dispositivos.

Telesintese

Veja Também:

A influência do Facebook e do YouTube na tomada de decisão de compra em um e-commerce

O processo de adquirir um produto, seja ele qual for, vem mudando bastante ao longo …