Home / Artigos / Empreender / A esperança do começo

A esperança do começo

 

Iniciar uma loja virtual não é uma tarefa fácil. Somos seduzidos pelas ofertas de plataformas prontas que garantem que por um preço baixo – ou até mesmo de forma gratuita – poderemos ter nossa loja e começar a ganhar dinheiro. É uma oferta real? Vamos descobrir!

A árdua tarefa de abrir uma loja virtual, plenamente funcional, deve ser cuidadosamente planejada a fim de evitar problemas futuros. Obviamente, na pressa para começar a vender, por vezes preferimos ignorar as precauções. Todavia, isto pode gerar grandes inconvenientes futuros, e, inclusive, a perda de dinheiro e falência do negócio.

DESMISTIFICANDO

Ou seja, quebrando os mitos e falsas ideias.

1º: É possível perder dinheiro com E-Commerce? Sim!

O maior exemplo disto é a rede “Pernambucanas”, que tentou por muito tempo manter atividades no mundo virtual, mas acabou preferindo sair deste segmento. Atualmente a rede somente expõe produtos, sem realizar vendas.[1][2]

2º Usar plataformas prontas é a melhor forma para começar.

Em minha experiência, acredito que seja uma afirmação 90% verídica. O problema é os 10% que faltam. Explico.

Existem plataformas prontas (Loja Integrada, Xtech Commerce e outras) em que o primeiro plano geralmente é gratuito ou por um preço muito baixo. A plataforma já está configurada e é só preencher os dados, nomes dos produtos etc. Pode ser uma boa forma para começar, afinal, no início você precisa trabalhar com as fotos dos produtos, descrição… Assim, você não tem problemas com programação e tem tempo para se dedicar em colocar os produtos no ar.

O problema é que estas plataformas são padronizadas, e você não consegue personalizar da forma que achar melhor. Além disto, caso você queira entrar em contato com o suporte técnico, é uma dor de cabeça tremenda. É difícil falar com eles, e fazer alguma modificação no sistema é mais complicado ainda.

Criar o seu próprio site em plataformas open source (Magento, Woocommerce e outros) é uma alternativa. É mais caro para deixa-la pronta (cuidado com empresas picaretas, que vão cobrar caro e não te entregarão um site de acordo com o combinado), mas o serviço final pode te trazer uma plataforma personalizada, e com vários recursos que melhorarão o seu faturamento.

Em minha experiência, trabalhei com a LI (loja integrada) por um bom tempo, e depois passei a utilizar a plataforma Magento (www.abaraujo.net), em que ocorreu exatamente o que relatei.

Entretanto, cabe relatar uma experiência prévia. Antes de iniciar na LI, havia contratado uma empresa para fazer um Ecommerce para mim. Eles haviam pedido 60 dias para entregar o site. Após 120 dias, o site já estava pago e eles não o haviam entregado. Passaram a não atender mais minhas ligações e a não responder mais e-mails. Precisei entrar na justiça para reaver o dinheiro perdido.

Pesquise e escolha com calma.

3º: É só montar uma loja virtual que o dinheiro virá.

Oxalá fosse assim meu caro leitor! A complexidade de montar uma loja virtual é praticamente a mesma de uma loja física, entretanto, com custos operacionais reduzidos.
O lojista deve, dentre outras coisas:

  • Ter um CNPJ para poder emitir notas fiscais (pois é, todas as vendas online devem seguir as regras usuais de lojas físicas);
  • Adaptar sua empresa aos moldes do Código de Defesa do Consumidor para atender os clientes;
  • Manter um estoque de produtos, funcionários, marketing, marca, logo etc;
  • Ter todo um controle financeiro (custos fixos, variáveis, despesas financeiras) para saber qual preço pode colocar no produto, quais suas margens, e principalmente: se toda a operação que você montar vai ser capaz de se pagar e dar lucro (lembra do caso das Pernambucanas?).

 

4º É só fazer um bom trabalho que as vendas aumentarão

Tem uma certa verdade nesta afirmação, pois um cliente contará para o outro que comprou em sua loja e a tendência é as coisas melhorarem. Mas isto não é suficiente para ter um ganho de escala. Você precisa investir em marketing, SEO, adwords, redes sociais, branding e outros detalhes. Isto envolve duas possibilidades: ou você mesmo desempenha estas funções, ou você contrata um profissional. A primeira opção pode ser provisória, mas vai chegar uma hora que você não dará conta de tudo. A segunda opção deve ser tomada com muita cautela, existem muitos maus profissionais no mercado que irão lhe cobrar muito e o seu retorno será pífio.

Além disto, por mais que você seja uma pessoa comprometida com seu negócio, muitos fatores não dependem de você. Se os Correios perderem a sua mercadoria (acredite, acontece!) o cliente vai ficar bravo com sua loja, e não com os Correios. Se o produto chegar estragado para o cliente, e a culpa for do seu fornecedor, o seu cliente ainda irá te culpar.

Considerações Finais

Com uma pitada de sorte, planejamento e uma busca cuidadosa por parceiros confiáveis, você conseguirá montar suas operações de ECommerce e fazer com que haja um aumento gradual do faturamento. Tome os cuidados devidos, não subestime o planejamento, e se dedique, que os resultados virão!

[1] http://www.vidadeecommerce.com.br/e-commerce-pernambucanas-com-br-volta-ao-ar/

[2] http://ecommercenews.com.br/noticias/pernambucanas-tira-loja-online-do-ar

Veja Também:

PMEs representam 25% de todos os ecommerces brasileiros, aponta pesquisa

As pequenas e médias empresas estão se tornando cada vez mais representativas no e-commerce brasileiro. …