Home / Artigos / Operação / Como estruturar sua loja online de moda: Guia para iniciantes

Como estruturar sua loja online de moda: Guia para iniciantes

Você fez a análise de mercado, estudou os principais concorrentes, definiu seupúblico-alvo e juntou dinheiro para mergulhar de cabeça no e-commerce. No entanto, após dar esses passos iniciais, o que vem a seguir? Estruturar uma loja online pode ser complexo para um marinheiro de primeira viagem, portanto, criamos esse pequeno guia para te ajudar a passar dessa fase sem grandes tormentas. Vamos lá?

1. Escolha uma plataforma de e-commerce

O ideal para quem está começando agora e quer vender pela internet sem dor de cabeça é escolher uma plataforma de e-commerce. Grosso modo, essas plataformas funcionam da seguinte maneira: você paga um valor fixo por mês e terá todas as funcionalidades de uma loja virtual disponíveis sem precisar do auxílio de um programador e/ou de um designer.

Por exemplo: ao escolher uma plataforma como a Nuvem Shop, você só terá que adicionar seus produtos na ferramenta e começar a vender. E a parte de meios de pagamento e envio? Isso tudo já está integrado à plataforma: basta você escolher os métodos de pagamento e envio que irá disponibilizar, integrá-los à sua loja através da própria Nuvem e pronto!

Lembre-se, contudo, que pode demorar um tempo até que você consiga suas primeiras vendas e recupere aquele investimento inicial. Tenha paciência, trabalhe bastante, invista em marketing e no poder das redes sociais e com o tempo certamente sua loja online trará o retorno esperado.

2. Procure fornecedores confiáveis

Ao mesmo tempo em que você está decidindo sobre a melhor plataforma para o seu negócio, você precisará pesquisar fornecedores que atendam às suas demandas. E como encontrar um fornecedor para os seus produtos? Onde procurar? O que observar nesse momento? Veja algumas dicas:

Faça uma lista de fornecedores

Se você vai vender roupas femininas, por exemplo, comece buscando potenciais fornecedores na internet. Procure também em catálogos, listas telefônicas, etc. O mais importante de tudo, todavia, é entrar em contato com pessoas que já têm experiência nesse ramo. Procure outras lojas online, peça dicas, veja se eles têm algum contato para indicar; essa com certeza será a melhor forma de conseguir um bom fornecedor.

Outra alternativa é visitar centros comerciais pessoalmente. Se você mora na capital paulista, por exemplo, pode ir a locais famosos, como Brás e Bom Retiro, e bater um papo sem compromisso com lojas e fábricas. A partir de toda essa pesquisa, faça uma lista com os potenciais fornecedores e escolha aqueles que mais se adequem às suas necessidades.

Conheça o histórico do seu fornecedor

Antes de fechar negócio com um fornecedor específico, conheça o seu histórico, pesquise seus principais clientes e entre em contato com eles para saber como é o método de trabalho desse profissional no dia a dia. Outra alternativa é contratar o fornecedor e começar fazendo pedidos menores para testar seu desempenho. Se ele atender às expectativas, aumente o número de pedidos gradativamente.

Negocie prazos

O prazo é um ponto fundamental do e-commerce. Entregas atrasadas podem manchar a imagem de uma loja virtual, portanto, é ESSENCIAL ter os prazos bem negociados com o seu fornecedor. Antes de fechar negócio, deixe bem claras quais as suas necessidades e só avance se tiver certeza de que esse fornecedor poderá cumprir com as exigências. Ao decidir, por fim, faça um contrato para formalizar todos os pontos acordados.

Olho nos prazos de pagamento

O método de pagamento escolhido entre você e o fornecedor também deve ser levado em conta. Como vai ser esse pagamento? À vista? Qual vai ser o prazo dado pelo fornecedor? Além da qualidade do produto, escolha aquele parceiro que  possa oferecer os melhores benefícios para você e sua loja.

3. Considere produzir os próprios produtos

A princípio, trabalhar com um fornecedor pode ser a melhor alternativa, no entanto, conforme o tempo for passando e seu e-commerce já estiver financeiramente estável, talvez seja a hora de dar um passo mais ousado, ou seja, começar a produzir os próprios produtos.

Durante o 1º Encontro de E-commerce realizado pela Nuvem Shop, trouxemos Bruno Freitas, proprietário da loja Nathalia Freitas, para falar sobre o case de sucesso do empreendimento. Durante o bate-papo, Bruno explicou que começou trabalhando com fornecedores, mas que depois preferiu confeccionar os itens por conta própria.

“A gente vendia roupas multimarcas, mas aí nosso principal fabricante começou a vender para um concorrente. Foi nesse momento que decidimos fabricar os nossos próprios produtos. O investimento inicial na época (para produzir os produtos por conta própria) girou entre sete e dez mil reais”, disse.

“Nós demoramos cerca de oito meses para começar a dar lucro na loja online e hoje o e-commerce já superou a loja física. Tem que ter paciência, fazer investimento, mas é difícil mesmo. A gente começou com apenas 12 peças próprias, bem devagar. Foi bem difícil no começo. Começamos vendendo roupa em casa, para um público bem abrangente. Depois fomos focando no público mais jovem. Na vida a gente tem que arriscar. A gente arriscou e deu certo. Hoje só vendemos os nossos próprios produtos”, pontuou.

4. Defina o tipo de estoque da sua loja

Existem diversos tipos de estoque que podem atender a uma loja online: estoque próprio único, estoque próprio compartilhado, estoque consignado, drop shipping, entre outros. Caberá a você, como lojista, analisar os prós e contras de cada um e a partir daí decidir o que é melhor para o seu negócio.

No começo, o estoque consignado talvez seja a melhor alternativa. Você vai ter uma margem de lucro menor, mas economizará espaço, pois nesta modalidade os produtos ficam alocados junto ao fornecedor, e evitará os riscos e despesas de ter que manter ou promocionar mercadorias ociosas (que vendem pouco).

No futuro, o estoque próprio com certeza será a melhor alternativa, já que permitirá o controle absoluto sobre os produtos e trará a facilidade da pronta-entrega.

5. Fazer o escritório em casa ou alugar uma sala?

Por fim, antes de começar a vender você precisará definir um local de trabalho. Inicialmente, é uma boa ideia montar um escritório dentro de casa (se você tiver espaço para tal), mas para isso é preciso bastante disciplina. À medida em que for crescendo e for faltando espaço, você poderá pensar em alugar uma sala comercial, o que trará alguns custos extras para o seu negócio. A dica, portanto, é começar ajeitando um cantinho em casa mesmo, pois sairá bem mais em conta financeiramente.

Resumo

Esse guia ajudará você que está começando a dar passos importantes antes de vender pela internet. Já passou por esse momento? Quer compartilhar sua experiência conosco? Comente na caixinha abaixo!

Quer colocar tudo isso em prática? Crie sua loja teste por 15 dias com a Nuvem Shop! É simples, rápido, gratuito e sem a necessidade de conhecimentos técnicos!

Fonte: Nuvem Shop

Veja Também:

Photo StudioBox é Bom? Vale a Pena? (Análise Completa Sobre o Estúdio Portátil para Fotos de Ecommerce)

O Desafio da maioria das pequenas e médias lojas virtuais é na hora de criar …