Home / Artigos / Operação / Diferenças entre B2B e B2C

Diferenças entre B2B e B2C

Embora uma plataforma de e-commerce B2B e outra B2C tenham o mesmo objetivo final — que é vender —, os diferentes direcionamentos de público-alvo entre as duas formas de negócios impõem aos empreendedores distintas estratégias de captação de clientes, além de websites que respeitem as peculiaridades de cada uma das modalidades.

No post de hoje você vai entender as principais diferenças entre e-commerce B2B e B2C. Confira!

Características próprias de cada mercado

Essa é uma das distinções mais marcantes de cada um desses tipos de e-commerce. Enquanto o mercado B2B (business to business ou empresa-empresa, em português) é mais seleto, fechado, restrito e direcionado, o B2C (business to consumer ou empresa-consumidor) é absolutamente mais volumoso, disperso e heterogêneo. Entretanto, não caia no erro de achar que este último é mais rentável do que o primeiro. Isso porque embora mais extenso, o mercado B2C costuma ter tickets médios bem inferiores ao B2B, o que explica as diferenças de faturamento usuais entre os dois segmentos.

Psicologia de compra

Enquanto no e-commerce B2B a compra é racional, planejada, em grandes volumes e, na maioria das vezes, com periodicidade constante, no comércio direto aos consumidores, o B2C, os volumes de aquisição de um mesmo cliente são diversos em relação a períodos distintos, relativamente irregulares e marcados pelo impulso da emoção. Esse detalhe obriga os empresários que trabalham com essa modalidade a investirem em plataformas extremamente intuitivas, com linguagem mais direta, que transmitam segurança, credibilidade e que convençam o consumidor a fechar negócio.

Diversidade nas políticas comerciais

A diversidade nas políticas comerciais é uma característica marcante do mercado B2B. Nesta modalidade, não é incomum que a empresa trabalhe com tabelas de preços distintas e de acordo com o perfil do cliente, o que justifica a necessidade de que essas plataformas sejam providas de alta flexibilidade em suas políticas comerciais — algo incomum no B2C, que costuma oferecer preços idênticos independente do perfil do cliente. Esse detalhe reforça a necessidade de que as lojas virtuais B2B saibam explorar ferramentas e softwares voltados ao segmento.

Estratégias de marketing

As estratégias de marketing entre e-commerce B2B e B2C também são bastante distintas. O B2C possui, em geral, estratégias de marketing mais agressivas e massificadas, buscando através de mídias sociais, links patrocinados e estratégias de SEO, por exemplo, captar o maior número de potenciais clientes e convertê-los em leads qualificados.

No B2B, no entanto, é necessário ir diretamente onde o seu público-alvo está. Há mais seletividade, o que não significa que não há investimento em marketing de relacionamento. Assim, a presença em eventos do setor, o envio de e-mail marketing a nichos específicos, além de constantes contatos entre representantes comerciais são muito bem-vindos no B2B.

Cálculo de impostos

Essa é uma particularidade do e-commerce B2B: plataforma business-to-business deve calcular os tributos de vendas automaticamente na simulação do pedido, em função da origem e destino dos produtos adquiridos, bem como por força da substituição tributária entre Estados. Já nas plataformas B2C não é necessário se preocupar com essa questão, apenas com o valor do frete.

Formas de pagamento

Enquanto no B2C é possível fazer o pagamento por boleto à vista, cartão de crédito e, às vezes, por transferência bancária, o B2B é mais restrito e é comum trabalhar com venda faturada, assim como com limites de crédito.

Fonte: CiaShop

Veja Também:

Photo StudioBox é Bom? Vale a Pena? (Análise Completa Sobre o Estúdio Portátil para Fotos de Ecommerce)

O Desafio da maioria das pequenas e médias lojas virtuais é na hora de criar …