Home / Artigos / URGENTE: A partir de Junho “começa o fim” do boleto sem registro!

URGENTE: A partir de Junho “começa o fim” do boleto sem registro!

Usar um meio de pagamento no seu site além de seguro e rápido agora também será mais econômico; a FEBRABAN anunciou no seu comunicado número 015/2015, que a partir de junho/2015 os bancos não poderão mais disponibilizar carteiras SEM registro a clientes novos.
Para quem já tiver um convênio de cobrança com carteira sem registro contratado com o banco até fim de maio/2015, o prazo máximo para a migração é dezembro/2016 e cada banco poderá definir o prazo para migração de seus clientes respeitando a data limite.
O boleto sem registro é o mais utilizado no e-Commerce Brasileiro, pela facilidade e baixo custo, e em alguns casos quase sem nenhum custo. Essa resolução da Febraban deve aumentar os custos da cobrança e criar alguns problemas.

boleto2

Um problema chamado boleto

Por muito tempo o boleto bancário foi a glória e a tragédia do empreendedor digital. A glória porque sempre foi uma ótima alternativa para clientes sem cartão de crédito, ou sem confiança de colocar os dados do cartão na loja virtual. Por outro lado os compradores não se sentem “responsabilizados” a pagar os boletos e a experiencia de quem tem loja virtual diz que a cada 10 boletos emitidos, pelo menos 4 não são pagos! Isso gera um problema muito grande, pois quando o cliente compra o produto e emite o boleto, o produto é “retirado” da vitrine virtual ou seja fica reservado para aquele comprador até o boleto ser pago. Se o prazo de pagamento for de 5 dias, o produto fica indisponivel pelo menos 7 dias e se o boleto não for pago foram 7 dias perdidos para a nova venda.

Os Custos

Com a resolução da FEBRABAN os lojistas digitais deverão repensar suas planilhas de custos, pois um boleto registrado pode, e vai impactar diretamente nas margens de lucratividade das lojas virtuais.

taxas-de-boleto-nos-meios-de-pagamento-2015-ecommercegirl

Os valores acima são apenas referencias, as taxas bancárias são resultado do relacionamento do correntista com o banco e podem ser negociadas.

E agora?

Os meios de pagamento sempre foram uma opção confortável para quem estava começando a se aventurar no e-Commerce; era fácil, rápido de implementar e oferecia segurança para quem vendia e para quem comprava. Parecia perfeito.

Por causa dos custos  e dos prazos dos recebimentos as lojas virtuais medias e grandes ( que conseguem negociar com os bancos ) simplesmente não  queriam ter meios pagamento em seus sites, e ficou estabelecido intrinsecamente que isso era coisa de quem era amador.

O tempo passou e vieram problemas como o charge back, e os meios de pagamento voltaram a ser uma alternativa atrativa por causa  da segurança que oferecem, mas os prazos e custos ainda impactavam as operações dos grandes e-commerces, agora tudo isso mudou.

taxas-e-tempos-para-retorno-de-dinheiro-meios-de-pagamento-ecommercegirl

 

Para saber mais:

https://pagseguro.uol.com.br/taxas-e-tarifas.jhtml

https://moip.com.br/tarifas/

http://bcash.com.br/quanto-custa/

Um outro ponto:

Só o PagSeguro tem mais de 30 milhões de pessoas cadastradas, e como ninguém gosta de ficar preenchendo cadastros,  saber que isso não será necessário já é um incentivo a compra!

E as pessoas gostam de saber que se a loja não entregar o produto, por qualquer motivo que seja, ele poderá ter o dinheiro de volta ! Isso é um benefício gigantesco!

Tudo leva a crer que estamos perto de viver um novo ciclo dos meios de pagamento no Brasil.

Fonte: Ecommerce Girl

Veja Também:

instarocket

Instarocket Chega ao Mercado para Impulsionar Pequenas e Médias Empresas no Instagram

A Ferramenta já conquistou mais de 1 milhão de seguidores reais para seus usuários. São …